Renunciar a Si Mesmo

 Acho que você conhece aquela música que diz: “Fica sempre um pouco de perfume, nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que sabem ser generosas.”

É enxugando as lágrimas dos outros que enxugamos as nossas. Fazer os outros felizes continua sendo o melhor remédio para nossas crises de tristezas. É a base da verdadeira felicidade que não acaba, que o tempo não leva, que a traça não corrói.

Conheço muitas pessoas que viviam cheias de tristeza e depressão, até o dia que começou a se dedicar diariamente aos outros, a igreja e disseram que nunca mais souberam o que era depressão.

A verdadeira felicidade, que o tempo não apaga, é conquistada quando fazemos o bem aos outros desinteressadamente.

Como já disse o fíciso francês, André Ampére, ainda que possuisse tudo o que possa desejar no mundo, uma coisa me faltaria: a felicidade dos outros.

Nós só construimos a nossa felicidade ajudando os outros a construirem a deles.

Um homem só se torna maduro depois que aprendeu a viver a comunhão com os outros.

Quando a gente deixa de fazer o bem para os outros, com medo de que o outro se torne um concorrente, isso se chama pequenez de alma.

Não tenha medo de fazer os outros felizes, mesmo que você tenha que lhe dar o melhor que possui.

A felicidade é um tesouro que só encontramos quando deixamos de procura-la e passamos a oferece-la. Ela não é uma estação onde chegamos, mas uma maneira de viajar. Ela não começa nos outros e vem até nós, ela começa em nós e vai até o outro; por isso, o mais feliz é aquele que serve.

Ser feliz é não deixar passar qualquer pessoa em sua vida sem amá-la.

As únicas pessoas verdadeiramente felizes são as que buscam uma maneira de ser úteis aos outros. A maior felicidade do homem é poder dar e pouco pedir.

Quem não vive para servir, não serve para viver, diz o provérbio. Então pense bem dos outros, deseje de coração o bem aos outros e não tenha inveja.

Não devemos nos alegrar nem mesmo quando um adversário cair, não devemos nos jubilar quando ele tropeçar.

Não devemos ser egoistas e querer subir sozinhos, pois não há felicidade sem partilha.

Pessoa feliz é aquela que busca unir as pessoas. Se apenas lhes dermos o pão eles poderão se odiar, mas se quisermos que se amem, façamos construir uma ponte.

Muitas pessoas se alegram interiormente com as deficiências de seus melhores amigos. Isto é fruto de inveja. A inveja escurece as vidas. O silencio do invejoso é ruidoso demais.

Para algumas pessoas há duas espécies de calamidades: uma são nossas desgraças, a outra a felicidade alheia. Para esses, não é tanto o que eles não tem que causa infelicidade, mas o que os outros tem. As vezes o mal que fazemos não nos atrai tanto ódio e perseguição quanto nossas boas qualidades. Tudo isso é fruto da inveja.

Para que a sua estrela brilhe, você não precisa apagar a dos outros. Embora existam pessoas que não suportem ver os outros brilharem.

Essas pessoas não são felizes.

A vida lhe dá de volta tudo o que você diz, tudo o que você deseja de bem e mal aos outros. A vida lhe devolverá toda inveja, incompreensão que você desejar, praguejar as pessoas que lhe cercam.

Há muitas pessoas que precisam de alguém. Há pessoas caladas que precisam de alguém para conversar. Há outras tristes que precisam de alguém para as confortar. Há pessoas tímidas que precisam de alguém para as ajudar a vencer a timidez.

Há pessoas sozinhas que precisam de alguém para conviver. Há outras com medo, que precisam de alguém para lhes dar a mão. E há também algumas fortes que precisam de alguém para fazê-las pensar na melhor maneira de usarem a sua força.

Há pessoas habilidosas  que precisam de alguém para ajudá-las a descobrir a melhor maneira de usar a sua habilidade. Há outras apressadas que precisam de alguém para lhes mostrar tudo o que não tem tempo para ver. Há umas que são impulsivas e que precisam de alguém para ajudá-las a não magoar os outros.

Por fim há pessoas que se sentem de fora e precisam de alguém para lhes mostrar o caminho de entrada. E há muitas que dizem que não servem parqa nada e precisam de alguém para as ajudar a descobrir como são importantes.

Para ser feliz é preciso estar disposto a construir pontes ao invés de muros.

TOME A SUA CRUZ E SIGA-ME